Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031


Pesquisar

 


Guardar facturas e recibos

Quarta-feira, 29.01.14

aqui vos disse que só somos obrigados a guardar a documentação referente ao IRS - impressos, facturas e recibos - durante quatro anos a partir da entrega dos mesmos às Finanças. A partir dessa data, a administração fiscal não pode exigir que a apresentemos, pelo que não é necessário acumular papelada em casa. O mesmo se passa com os documentos do Imposto Único de Circulação e do E-factura.

 

 

Mas há outros documentos que também não precisa de arquivar eternamente. Segundo a DECO, as facturas da água, luz, gás, telemóvel, Internet, alojamento e alimentação, por exemplo, só é necessário manter durante meio ano. A partir dessa data, nenhuma empresa nos pode exigir o pagamento daqueles serviços.

 

 

No caso dos profissionais liberais, como os advogados e os médicos particulares, estes não podem exigir-nos o pagamento de um serviço prestado há mais de dois anos, o mesmo acontecendo com as instituições particulares de saúde. No caso das instituições públicas, esse prazo sobe para os três anos.

 

 

Quando aos recibos da renda da casa ou do pagamento da quota do condomínio, também só é obrigado a arquivá-los durante cinco anos.

 

 

Se é daquela pessoas que tem por hábito guardar muita papelada, se calhar está na altura de dar uma volta aos seus documentos. Provavelmente, tem guardados recibos e facturas que já não têm qualquer utilidade e que só lhe estão a encher a casa de pó.

 

 

Boas poupanças!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Web Informer Button

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De Isabel a 29.01.2014 às 23:38

Fátima, não vai acreditar, mas tenho todos os documentos desde 1988, de tudo! Não só serviços, mas também de material para casa, tintas, electrodomésticos, tapetes, móveis, computadores, telemóveis... tudo.

Como estão todos arquivadinhos como deve ser e na arrecadação, não me ocupam espaço aqui em casa.

Olhe e por acaso até me deram jeito há uns bons valentes anos, para justificar certas aquisições que eu fiz após o meu divórcio. Não era obrigada a ter, claro, mas como tinha, poupei uma série de chatices. :)

Actualmente, não tenho tanta papelada de serviços, porque aderi à factura electrónica onde era possível.

Mas, realmente, sou um bocado para o obsessivo com essas coisas, eu sei, e agora depois de ler este seu artigo, acho que vou dar uns quantos quilos de papel a alguém para atear a lareira. ahahah !!

Beijinho!


De FM a 30.01.2014 às 20:23

Olá, Isabel,

Acredito, sim, até porque na minha família há quem tenha o mesmo hábito :-)

Mas como vê, legalmente não é necessário. Numa próxima oportunidade, lá vou eu dar a volta aos papéis.

Beijinhos

Comentar post



Comentários recentes

  • micaela alves

    só falta mesmo lançar para a plataforma windowspho...

  • FM

    Provavelmente, haverá mais. Estes são aqueles de q...

  • wideawake

    Desconhecia alguns desses descontos! Obrigada

  • Clínica Dentária Lisboa

    Cá em casa tenho quem em poucos dias me deixe uma ...

  • joao

    http://www.comparaja.pt/blog/credito-pessoal-conhe...